+55 11 3385-9339 EN PT
Excelência Em Gestão Pública

EXCELÊNCIA EM GESTÃO PÚBLICA: ENTENDA O QUE É E CONHEÇA OS ELEMENTOS INTEGRADOS QUE CONSTITUEM ESTA GESTÃO

O Modelo de Excelência em Gestão Pública é a representação de um sistema de gestão que visa aumentar a eficiência, a eficácia e a efetividade das ações executadas. É constituído por elementos integrados, que orientam a adoção de práticas de excelência em gestão, com a finalidade de levar as organizações públicas brasileiras padrões elevados de desempenho e de qualidade em gestão.

Quer saber mais sobre os elementos integrados deste processo? Então continue lendo este artigo!

Excelência em Gestão Pública

Entenda como funciona os elementos integrados

  • Planejamento com foco em liderança e estratégia, por meio de uma forte administração, priorizando as necessidades dos cidadãos, com processos que visam atender um conjunto de necessidades, levando em conta os recursos disponíveis;
  • Pessoas e processos, etapa em que o planejamento entra em ação, capacita e motiva as pessoas que operam esses processos e fazem com que cada um deles produza os resultados esperados;
  • Monitoramento, apresentará resultados através do controle de satisfação dos serviços e da ação do estado. Se destina a finanças, gestão de pessoas, gestão de fornecedores, parcerias institucionais, desempenho dos serviços e dos processos;
  • Informações, procuradas e avaliadas, capacitadas no ambiente interno e externo da organização que influenciam o desempenho, dando a organização a capacidade de agir, melhorar suas práticas de gestão baseados em dados.

Fundamentos da gestão pública: 10 formas para se representar

Os fundamentos apresentados caracterizam uma gestão pública desejada, à medida que forem transformados em orientadores das práticas de gestão, serão, gradativamente, hábitos e, por fim, valores inerentes à cultura organizacional.

O Modelo de Excelência em Gestão Pública determina fundamentos com atenção prioritária ao cidadão e a sociedade, na condição de usuários de serviços e destinatários da ação decorrente do poder de Estado exercido pelas organizações públicas.

A lista a seguir, apresenta fundamentos que envolvem o cidadão individualmente e todas as formas pelas quais se faça representar: empresas, associações, organizações e comunidades.

1. Impessoalidade

Não fazer acepção de pessoas, desde a rapidez no atendimento, a confiabilidade e o conforto são valores de um serviço público de qualidade e devem ser agregados a todos os usuários.

2. Publicidade

Ser transparente, dar publicidade aos dados e fatos. Essa é uma forma eficaz de indução do controle social.

3. Eficiência

Fazer o que precisa ser feito com o máximo de qualidade ao menor custo possível. Não se trata de redução de custo a qualquer maneira, mas de buscar a melhor relação entre qualidade do serviço e qualidade do gasto.

4. Gestão participativa

O estilo da gestão de excelência é participativo, isso determina uma atitude gerencial de liderança que busque o máximo de cooperação das pessoas, reconhecendo a capacidade e o potencial diferenciado de cada um e harmonizando os interesses individuais e coletivos, a fim de conseguir a sinergia das equipes de trabalho.

 5. Gestão baseada em processos e informações

O centro prático da ação da gestão de excelência é o processo, entendido como um conjunto de atividades inter-relacionadas ou interativas que transforma insumos (entradas) em produtos/serviços (saída) com alto valor agregado.

A gestão de processos permite a transformação de informações que assessoram a tomada de decisão e alimentam a produção de conhecimentos. Esses conhecimentos são à organização pública alta capacidade para agir e poder para inovar.

6. Valorização das pessoas

As pessoas fazem a diferença quando o assunto é o sucesso de uma organização. A valorização das pessoas pressupõe dar autonomia para atingir metas, criar oportunidades de aprendizado, de desenvolvimento das potencialidades e de reconhecimento pelo bom desempenho.

7. Visão de futuro

A busca da excelência nas organizações públicas é diferentemente relacionada à sua capacidade de estabelecer um estado futuro desejado. O que assegura coerência ao processo decisório e permite à organização antecipar-se às novas necessidades e expectativas dos cidadãos ao processo decisório e permite à organização antecipar-se às novas necessidades e expectativas dos cidadãos e da sociedade.

8. Aprendizado organizacional

O aprendizado deve ser internalizado na cultura organizacional, tornando-se parte do trabalho diário em quaisquer de suas atividades. Isso envolve a busca constante da eliminação da causa de problemas, a busca de inovações e a motivação das pessoas pela própria satisfação de executarem suas atividades, sempre da melhor maneira possível.

9. Foco em resultados

O resultado é a materialização de todo o esforço da organização para o atendimento das necessidades de todas as partes interessadas.

 10. Inovação

Inovação significa fazer mudanças significativas (tecnologia, métodos e valores) para aperfeiçoar os processos, serviços e produtos da organização. A organização deve ser conduzida e gerenciada de forma que a inovação se torne parte da cultura.

Quer saber como ter ainda mais sucesso e excelência em gestões? Clique aqui e conheça as 4 funções de desenvolvimento do gerenciamento em enfermagem.

Gostou deste artigo? Compartilhe com seus amigos ou mande novas sugestões para a CNPH, pois ficaremos felizes em escrever novos conteúdos relacionados à área da saúde para você.

Siga-nos nas redes sociais. 🙂

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Buscar